A Mercedes-Benz confirmou a chega da versão “semi-esportiva” do Classe A ao Brasil. O A35 AMG, apresentado a potenciais clientes durante o Mercedes-Benz Night 2019, desembarca no Brasil no último trimestre do ano.

Ele é o primeiro “35 AMG” a chegar ao País, sendo que o CLA e o Classe A sedan também terão essa variante, com o mesmo ajuste para o trem de força, e devem chegar ao Brasil quando forem lançados lá fora também.

LEIA MAIS:

A base do A35 AMG é o novo motor quatro cilindros 2.0 turbo. Que no hatch rende 302 cv a 5.800 rpm e torque de 40,7 mkgf a 3.000 rpm. A tração é integral e esses números são entregues pela transmissão automatizada de dupla embreagem e sete marchas.

Segundo a Mercedes, o A35 AMG é capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em 4,7 segundos e atinge a velocidade máxima de 250 km/h, limitada eletronicamente. Para segurar esse ímpeto, a marca adicionou ao conjunto discos de freios – perfurados e ventilados – de 350 mm na frente e 330 mm atrás.

Além disso, a Mercedes fez outras mudanças ao conjunto dessa apimentada versão do Classe A. Aumentou a rigidez torcional da carroceria, mudou a relação de marchas do câmbio e a tração integral varia de apenas dianteira para até 50% em cada eixo.

No quesito tecnologia, o A35 AMG traz os mesmo pacotes e equipamentos das versões normais do Classe A. A mais, oferece um modo de condução extra batizado de Slippery, ou escorregadio, em português.

Sua função é oferecer uma curva de torque mais “mansa” em piso escorregadio, reduzindo a potência. Ele se junta aos outros quatro: Conforto, Sport, Sport+ e Personalizável. O último permite ajustar respostas de direção, acelerador, câmbio e suspensão separadamente.

Por aqui, seus rivais devem ser o Audi S3 Sportback com seus 310 cv de potência e o BMW M140i que entrega 340 cv, mas é o único que não usa um quatro cilindros, mas sim um seis cilindros em linha. Na Europa, ele tem como rivais ainda o Volkswagen Golf R e seus 310 cv, o Honda Civic Type R de 320 cv e o Hyundai i30N de 275 cv.