Afinal, esse Opala Cromado realmente existe ?

Nascido como Projeto 676, o Opala foi fabricado em nosso país entre os anos 1968 e 1992. Ele foi baseado no modelo Rekord, da Opel, porém com alguns retoques feitos pela General Motors do Brasil. Ao longo de sua história em terras tupiniquins, o Opala teve diversas versões como a sedã, a cupê e a perua, totalizando quase um milhão de unidades vendidas ao longo de sua trajetória por aqui.

Vamos mais a fundo na história do Opala no Brasil?
Confira a partir de agora tudo o que você precisa saber sobre a história dele por aqui.

A General Motors do Brasil
queria um automóvel fabricado aqui!

O ano era 1963. A General Motors do Brasil ainda não tinha um automóvel fabricado por aqui e esse desejo era tratado internamente sob o codinome de Projeto 676. Após muitos estudos e pesquisas, a GM decidiu que o primeiro modelo fabricado no Brasil seria com base no europeu Rekord, da Opel. Por lá, esse veículo tinha como opções de carroceria as versões perua, cupê e sedã.

O nome escolhido para esse primeiro veículo nacional da montadora remetia a uma pedra preciosa, a opala. Essa pedra possui duas reservas de relevância mundial, sendo uma na Austrália e outra aqui no Brasil, mais precisamente no Piauí.

Em 1968, no Salão do Automóvel de São Paulo, o Opala era apresentado para o grande público em uma carroceria sedã de quatro portas que poderia ser adaptada em duas versões: a standard e a luxo.

As características que seduziam o público

Lançado com uma grade imponente de linhas horizontais cromadas e com faróis circulares embutidos, o Opala ainda se destacava pelas calotas cromadas e as curvas nas laterais e parte traseira.

O Opala Cromado 1969 que aparece na galeria abaixo foi desenvolvido digitalmente pelo site: artedosaber e não existe fisicamente.

Confira a galeria de fotos abaixo:

Página 1 de 6
CONTINUAR