A Nakata alerta como as condições de pavimentação das rodovias podem interferir no funcionamento do sistema de suspensão. Segundo a Pesquisa a Confederação Nacional dos Transportes (CNT) de Rodovias 2018, 57,0% de um total de 107.161 km de rodovias localizadas no Brasil possuem algum tipo de deficiência (35,2% encontram-se em estado Regular; 15,3%, ruim; e 6,5%, Péssimo) seja no pavimento, na sinalização ou na geometria da via.

As vias esburacadas, sendo um dos problemas mais recorrentes, podem causar desgaste prematuro nos componentes do sistema de suspensão como amortecedores, molas, braço oscilante ou bandeja, buchas de borracha, pivô, coxim e barra estabilizadora.

O gerente de qualidade e serviços da Nakata, Jair Silva, ressalta que a melhor maneira de evitar acidentes inesperados é ficar de olho aos sinais que o veículo dá. “Desgaste irregular dos pneus, marcas de óleo na peça, movimentos excessivos da carroceria ao passar por lombadas, aumento da distância de frenagem e rangidos ou pancadas secas ao trafegar por ruas esburacadas ou com ondulações podem ser sinais que chegou a hora de rocar os amortecedores, bem como outras peças do sistema de suspensão”.


Aptiv explica o processo de fabricação de chicotes elétricos