T-Log: Será o futuro dos caminhões autônomos e elétricos

Tecnologias autônomas poderiam revolucionar a indústria de caminhões e isso se estende até o momento. Isso pode nunca ter passado pela sua cabeça antes, mas os produtos de madeira que você usa todos os dias podem ser transportados por caminhão sem motorista alimentando-se de eletricidade.

Durante o Goodwood Festival of Speed, a startup de tecnologia Einride revelou seu conceito de caminhão autônomo totalmente elétrico chamado de T-log. A empresa acredita que poderia desempenhar um papel importante em um “mercado enorme de AVs movidos a bateria”.

Como você notará a partir dessas renderizações de imprensa, o Einride T-log não possui uma cabine para o motorista ou passageiro. Em vez disso, consiste em uma pequena seção frontal no lugar de uma cabine tradicional. A empresa alega que o T-log usa a plataforma autônoma da Nvidia Drive e pode atingir o nível 4 de autodirigência. Consequentemente, pode ser controlado remotamente por um operador humano localizado a centenas de quilômetros de distância.

Como o T-log não tem cabine, o veículo pode se contentar sem ar-condicionado, aquecimento e outros confortos, reduzindo os custos e o consumo de energia.

O controle do veículo é uma infinidade de câmeras, sensores e radares que ajudam a fornecer uma visão de 360 ​​graus do mundo. Detalhes sobre o powertrain do T-log não foram anunciados, mas ele será capaz de transportar mais troncos do que um caminhão diesel do mesmo tamanho, graças ao imenso torque fornecido pelos motores elétricos e pela pequena cabine.

“Remova a cabine e substitua o motorista por um operador que possa monitorar e controlar remotamente vários veículos ao mesmo tempo, e os custos podem ser reduzidos significativamente”, disse Einride em um comunicado à imprensa sobre o caminhão.

“Além disso, operar um veículo à distância permite um ambiente de trabalho muito melhor, como já foi demonstrado em indústrias como a mineração.”

A empresa ainda não disse quando colocará o T-Log em produção.

Confira o vídeo abaixo: