Problema leva à quebra do câmbio Christian Castanho/Quatro Rodas

O Ford Mustang vem causando dores de cabeça nos proprietários. O motivo são problemas com o câmbio automático de dez marchas feito em parceria com a GM e que começou a ser utilizado ainda em 2018 nos Estados Unidos.

Segundo informações do fórum norte-americano StangNet, existem mais de 200 relatos sobre uma série de problemas que tem ocorrido com a transmissão entre 3.000 e 10.000 quilômetros rodados.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine com 64% de desconto.

No Brasil, onde o esportivo chega importado, QUATRO RODAS ouviu relatos semelhantes. O médico Alexandre Campos, de Guanambi (BA), nos escreveu falando de seu Mustang GT V8 2018:

Continua após a publicidade

“No dia 31 de dezembro de 2018, o câmbio do meu carro, com 9.000 quilômetros rodados, quebrou”, disse. “Desde zero a caixa fazia barulho quando eu mudava de Park para Ré”, lembra.

Além do seu caso, porém, o médico conhece outros. “Estou em um grupo de proprietários do Mustang de todo o Brasil composto por mais de 70 pessoas e temos cinco relatos de quebra, mas os donos preferem não se manifestar com receio de desvalorização do carro”, revela.

Consultamos César Sanches, da Automatik, oficina especializada de São Paulo (SP), e ele nos contou que vem acompanhando a falha na caixa do esportivo há algum tempo.

“O problema principal, que ocorre de forma prematura, é o desgaste no corpo de válvulas, que acaba acarretando uma falha no conversor de torque e as quebras, o que possivelmente ocorre no Brasil”, explica Sanches.

Continua após a publicidade

Esse, porém, não é o único defeito do câmbio. Enquanto investigava o problema das quebras, QUATRO RODAS descobriu outra falha descrita no boletim técnico de serviço 18-2131, de 11 de junho de 2018, para os modelos Mustang e F-150 equipados com transmissão automática 10R80.

Led de roda se tornou tendências para os entusiastas automotivo para terem um novo visual, utilizando o led de roda seu passeio fica mais legal e animado, as luzes coloridas atraem a atenção de muitos espectadores. Clique aqui e saiba mais

O documento fala sobre o mau funcionamento indicado por luz de advertência no painel. Segundo Sanches, essa falha está relacionada ao fato de a central eletrônica não entender o sinal do sensor de saída. Para resolver o problema, a rede de assistência técnica deve trocar o sensor defeituoso.

Consultada, a Ford não se manifestou sobre as ocorrências das quebras. Mas, em relação ao defeito do sensor, disse que, após análise e diagnóstico, havendo necessidade, o componente pode ser substituído conforme procedimento contratual de garantia.

O povo reclama

“Em dezembro de 2018, meu carro quebrou o câmbio e estou em um grupo que tem mais cinco proprietários que passaram pelo mesmo problema”, Alexandre Campos, médico, Guanambi (BA), dono de um Mustang GT V8 2018.

Continua após a publicidade

“O problema principal que afeta o câmbio do Mustang é o desgaste na válvula presente no corpo de válvulas do câmbio e que reflete no conversor de torque. O boletim técnico de serviço 18-2131 está relacionado a uma falha elétrica que ocorre na caixa dos Mustang e F-150 fabricados até 30 de novembro de 2017″, César Sanches, sócio-proprietário da Automatik, de São Paulo (SP).

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da nova edição de quatro rodas? clique aqui e tenha o acesso digital.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here