Proprietários de Hyundai relatam problemas de funcionamento no sistema de refrigeração do ar do SUV e também da família de compactos

Por
Waldez Carmo Amorim

access_time

24 abr 2019, 07h00

Paula Vargas: o ar só resfria se estiver no mínimo

Paula Vargas: o ar só resfria se estiver no mínimo (Edson Chagas/Quatro Rodas)

Os modelos da Hyundai sempre se destacaram pela presença de equipamentos de série, em especial o ar-condicionado. Portanto, dá para imaginar a decepção quando o sistema não funciona como o esperado, como relatam dezenas de donos de Creta e HB20.

“Sempre que estaciono em um lugar quente, ao ligar o ar-condicionado, ele não resfria o interior conforme o programado no painel”, conta o engenheiro ambiental Felipe Paoli de Moraes, de São Paulo (SP), que tem um Creta Pulse Plus 2017.

A empresária Paula Frizzera Vargas, de Vila Velha (ES), diz que percebeu que o ar não gelava como deveria logo após a compra do seu Creta Prestige 2017. “Em qualquer temperatura diferente de Low, o sistema não funciona. A autorizada diz que não tem o que fazer, pois é característica do veículo.”

Quem tem o mesmo problema é o engenheiro Brenner Morais, de Contagem (MG). “O sistema só resfria quando está no mínimo”, diz o dono de um Creta Prestige 2018. “

“Na revisão reclamei com o técnico. Ele ajustou a temperatura em 22 graus Celsius, mas o sensor media 27 graus. Quando baixou o ajuste para 17 graus, marcava 20,5 graus. Após os testes em outros Creta, o gerente contatou a fábrica e disse que essa é uma característica do carro.”

Além do Creta, o HB20 é outro que coleciona reclamações.

Proprietária de um HB20 2014 e um HB20S 2016, a aposentada Ileusa da Silva Gomes, de Unaí (MG), diz que nos dois carros o ar-condicionado para de refrigerar se usado em viagens mais longas. “Além do barulho elevado, o ar precisa ser ligado e desligado várias vezes para funcionar.”

O técnico William Cleiton, da rede paulista K2, especializada em ar-condicionado, diz que atende por mês a média de cinco HB20 com problemas para refrigerar.

“A falha mais comum é no condensador: como ele acaba furando, o gás e o óleo vazam e o ar não gela mais. No Creta, o defeito está no selo do compressor: a peça se rompe e deixa vazar o material.”

Consultada, a Hyundai explica que, como o sistema capta as informações para o ajuste de temperatura por meio de sensores internos e externos, isso pode “demandar um certo tempo, que é necessário para a estabilização da climatização, e não se trata de um defeito de fabricação, mas de uma característica do carro”.

O povo reclama

“O problema no ar-condicionado estava em um furo no condensador. Me custou R$ 1.500.” – Rolim de Moura, Porto Velho (RO), é dono de um Creta Sport 2018

“Ao fim da garantia, o ar-condicionado parava de gelar, especialmente nas viagens. Tive de pagar mais de R$ 1.900 pelas peças.” – Guadalupe Lima, Campo Grande (MS), tem um HB20 Comfort Style 1.0

“Em menos de dois anos o ar-condicionado apresentou três problemas.” – Júlio Rodrigues, Campos dos Goytacazes (RJ), usa um HB20 Comfort Plus 2013

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here