Adrian van Hooydonk, chefe de design da BMW, teve que se defender das críticas sobre o Concept 4, protótipo revelado no Salão de Frankfurt. O carro apareceu com uma grade enorme, que não foi bem vista por muita gente. Para o executivo, o estilo radical do cupê nasceu da necessidade de continuar mudando o design da marca. Embora ele esteja correto neste ponto, vale lembrar que progresso nem sempre resulta em aperfeiçoamento.

“Como empresa, você precisa continuar se mexendo”, van Hooydonk disse à Autocar. “No minuto que você ficar parado, vira um alvo fácil. O mercado está mais competitivo do que nunca. Só que o mais difícil de ser fazer é mudar enquanto continua fazendo sucesso.”

De acordo com van Hooydonk, é importante que um cupê de alto desempenho tenha um visual chamativo. “Não é um design complexo”, explica o executivo. Depois de olhar de novo para o cupê, você pode ver o que ele quer dizer. Ignore a grade gigantesca e o Concept 4 vai mostrar linhas muito parecidas com o Série 4 atual. Só que as grandes entradas de ar na frente capturam a sua atenção imediatamente e impedem de ver o resto.

A estratégia de usar formas simples, mas marcantes, é parte do plano de design da BMW para o futuro, então acostume-se com este visual. “Queremos ter menos elementos, e que cada elemento tenha um papel maior” afirma van Hooydonk.

O Concept 4 não foi o primeiro BMW a ter esta aparência polêmica. O crossover X7 foi o primeiro a usar esta grade enorme, e o Série 7 reestilizado seguiu a tendência. Flagras sugerem que o facelift do Série 5 também contará com uma entrada de ar alargada. Ainda não sabemos se a próxima geração do Série 4 contará com as grades deste tamanho, já que o modelo circula em testes bem camuflado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here