SUV médio incorpora o motor 1.5 em três novas versões

SUV médio incorpora o motor 1.5 em três novas versões (Henrique Rodriguez/Quatro Rodas)

Lançado no final de 2017, o Chevrolet Equinox terá um rearranjo interessante em sua gama de versões para a linha 2020. 

A culpa é do motor 1.5 Ecotec com turbo e injeção direta, que gera 172 cv e 28 mkgf, e do câmbio automático de seis marchas.

Este novo conjunto passa a equipar a versão de entrada, LT, e a nova série Midnight, tornando-se ainda opção mais acessível para a configuração topo de linha, Premier.

Tração AWD que não é permanente é legado da Premier 2.0

Tração AWD que não é permanente é legado da Premier 2.0 (Henrique Rodriguez/Quatro Rodas)

Enquanto as demais versões têm tração nas rodas dianteiras, a Premier 1.5 turbo herda a tração integral da Premier 2.0 turbo.

A diferença visual entre uma versão e outra está apenas nas saídas de escape: a de motor com menos capacidade cúbica só tem uma; a outra, duas.

O conjunto formado pelo propulsor 2-litros turbo com injeção direta de 262 cv e 37 mkgf, além de câmbio automático de nove marchas, continuará sendo ofertado, mas apenas na configuração de topo.

Assim, a versão LT 2.0 turbo sai de linha.

Versão Midnight foi antecipada no último Salão do Automóvel de São Paulo

Versão Midnight foi antecipada no último Salão do Automóvel de São Paulo (Henrique Rodriguez/Quatro Rodas)

A despeito do esperado consumo melhor, o motor 1.5 não representa um posicionamento diferente para o SUV médio.

O único preço divulgado pela Chevrolet neste momento foi de R$ 129.990 para a versão LT 1.5 turbo.

Soa interessante, mas o LT 2.0 turbo que está sendo retirado do mercado custava R$ 132.490 – uma diferença de R$ 2.500, ou 1,92%. Quem não pagaria essa diferença por um carro 90 cv mais potente?

Equinox Midnight troca cromados por peças pretas

Equinox Midnight troca cromados por peças pretas (Henrique Rodriguez/Quatro Rodas)

Isso porque o pacote de equipamentos não muda.

Mantém faróis de xenônio, rodas de 18 polegadas, controles de estabilidade e tração, sensor de estacionamento dianteiro e traseiro, Isofix, airbag duplo, laterais e de cortina, assistente de partida em rampa, câmera de ré, ar-condicionado de duas zonas, chave presencial, central multimídia de 8 polegadas integrado com Android Auto e Apple CarPlay.

O pacote Midnight adota a mesma lista de equipamentos e o mesmo interior, mas por fora acompanha o visual da Premier.

A diferença é que as peças que, na versão mais cara, seriam cromadas, aqui são pretas, assim como os logotipos da Chevrolet e as rodas.

Motor 1.5 de 172 cv também é usado pelo Malibu nos Estados Unidos

Motor 1.5 de 172 cv também é usado pelo Malibu nos Estados Unidos (Henrique Rodriguez/Quatro Rodas)

A mais, as versões Premier têm teto solar, assistente de permanência na faixa, sensor de ponto cego, alerta de colisão e movimentação traseira, alerta de esquecimento de criança no banco traseiro, abertura do porta-malas por sensor de movimento e sistema de som premium Bose.

Os preços das versões Midnight e Premier 1.5 só serão divulgados quando elas chegarem às lojas, o que está previsto para o primeiro trimestre de 2020.

Elas serão posicionadas abaixo dos R$ 159.990 pedidos hoje pela Premier 2.0, mas esse valor deve subir.

Com o novo motor 1.5 e o Equinox Midnight, a Chevrolet cumpre o plano de lançar 11 novos modelos (incluindo novas versões e configurações) em carros já existentes em 2019.

A fabricante já renovou a promessa: serão sete lançamentos em 2020, que já classifica como “o ano dos SUVs”. A nova geração do Tracker é apenas um deles.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here