Depois entrar em produção em países como China e Brasil, a nova geração do Chevrolet Onix acaba de se estabelecer em um novo endereço fabril: México. A montagem local já vinha sendo anunciada desde setembro e foi iniciada nesta semana na fábrica de San Luis Potosí, contemplando sempre a variante sedã (que por lá não recebe o sobrenome Plus, como no Brasil).

Para receber o modelo, a marca atualizou as instalações e tirou de linha o Aveo, que a partir de agora passa a ser importado da China. As expectativas em torno da novidade são grandes, tanto que, para além do mercado doméstico, a meta da Chevrolet é exportar o três-volumes para 37 países, principalmente da América Latina, África e Oriente Médio.

As vendas locais serão iniciadas no final de março e a gama será inicialmente formada por três opções: LS, LT e Premier – ou seja, não haverá a variante LTZ. Além disso, o motor 1.0 turbo de 114 cv e 16,6 kgfm de torque (116 cv 16,8 kgfm no Brasil) não será a única opção disponível, já que o 1.2 turbo de 132 cv e 19,5 kgfm será oferecido nos acabamentos mais caros. O câmbio poderá ser manual de 5 marchas ou automático de 6 velocidades no primeiro caso e apenas automático no segundo. Assim como no Brasil, a lista de equipamentos de série promete ser um dos principais diferenciais. Incluirá 6 airbags, freios ABS, controles de tração e estabilidade, sistemas de assistência à condução e sistema de entretimento MyLink.

Localmente, o Onix será enquadrado no chamado segmento B e disputará clientes principalmente com Nissan Versa e Volkswagen Virtus, além de rivais sul-coreanos como Hyundai Accent e Kia Rio Sedan. No portfólio local da Chevrolet, será posicionado acima do Aveo e do Cavalier, ambos importados da China. A carroceria hatchback, porém, não será lançada por enquanto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here