Ele não entrou num rio, não foi ao lava-rápido de porta-malas aberto nem tentou barrar um tsunami. Ainda assim, olha o tanto de água que invadiu o sedã

Por Péricles Malheiros

access_time

10 set 2019, 07h00

Certo dia, o pneu furou. E esta foi a cena encontrada quando fomos pegar o estepe. Não dá pra dizer que não cabem muitos litros no porta-malas do Virtus

Certo dia, o pneu furou. E esta foi a cena encontrada quando fomos pegar o estepe. Não dá pra dizer que não cabem muitos litros no porta-malas do Virtus (Fernando Pires/Quatro Rodas)

Pouco antes da revisão dos 50.000 km, alguns motoristas relataram ter encontrado água escorrendo no interior do porta-malas. Outro incômodo, consequência natural da infiltração, foi o mau cheiro típico de carpete molhado.

Pedimos uma solução à concessionária Original, de Guarulhos (SP), onde fizemos a quinta revisão. Ao devolver o carro, o técnico disse: “Fizemos um ajuste na borracha de vedação. Não deve entrar mais água”. Mas entrou. Muita.

De fato, nas chuvas que o Virtus enfrentou logo depois da revisão, não notamos novos sinais de infiltração. Mas também é verdade que foram chuvas fracas.

Até que um dia, após o alerta de perda de pressão no pneu traseiro esquerdo, precisamos abrir o porta-malas para retirar o estepe.

“Quando removi o tampão, fiquei impressionado com a quantidade de água na cuba do estepe. Nunca a infiltração esteve nesse nível”, disse o piloto de teste Eduardo Campilongo.

Consultamos o diário de bordo, puxamos pela memória e concluímos: o Virtus estava estacionado no momento em que, dias antes, São Paulo teve chuva em três dias seguidos – todas intensas, mas de curta duração.

Ou seja, nem sequer rodamos em vias alagadas com o sedã.

Na contramão da normalidade, a revisão dos 50.000 km não foi a última visita à rede Volkswagen. “Vamos retornar à Original e ver se, desta vez, eles encontram uma solução definitiva para a entrada de água no porta-malas.

Até porque a situação se agravou demais após a primeira visita”, diz Péricles Malheiros, editor de Longa Duração.

Vamos pedir também uma solução para o pneu furado, que foi reparado com vulcanização a frio (com cola especial e película de borracha), mas voltou a perder pressão.

VW Virtus – 56.815 KM

FICHA TÉCNICA
Versão: Highline 200 TSI
Motor: 3 cilindros, dianteiro, turbo, injeção direta, transversal, 999 cm3, 12V, 128/116 cv a 5.500 rpm, 20,4 mkgf a 2.000 rpm
Câmbio: automático, 6 marchas
Combustível: flex (gasolina)

SEGURO
R$ 2.185

GASTOS NO MÊS
Combustível: R$ 890

CONSUMO
No mês: 11,3 km/l com 44,9% de rodagem na cidade
Desde jun/18: 11,6 km/l com 26,6% de rodagem na cidade

REVISÕES
ATÉ 60.000 KM: R$ 1.953

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here