Levantamos o perfil de quem mais solicita indenizações do seguro, que deixará de existir em 2020 após decisão do presidente Jair Bolsonaro

Motocicleta no trânsito

Motocicleta no trânsito (Agência Brasil/Divulgação)

O presidente da República, Jair Bolsonaro, anunciou no último dia 11 que o seguro DPVAT deixará de existir em 2020. A motivação, segundo o Governo, é extinguir os custos de supervisão e de regulação do DPVAT, além de acabar com as fraudes. 

Segundo dados oficiais, em 2018 foram pagas 328.142 indenizações, no valor de R$ 1,9 bilhão. Em contrapartida, o seguro gerou uma arrecadação de R$ 4,6 bilhões e 11.898 casos de fraude.

Este ano, o valor a ser pago varia de R$ 16,21 para motoristas de automóveis a R$ 84,58 para motocicletas e similares.

Ao mesmo tempo, as indenizações chegam a R$ 13.500 por pessoa em casos de invalidez permanente ou morte, e ao teto de R$ 2.700 para reembolso de despesas médicas.

De acordo com a seguradora Líder, atual gestora do seguro DPVAT, 75,2% (246.993) das indenizações pagas ano passado se referiam apenas a acidentes envolvendo motocicletas.

Quanto ao sexo, 82% das vítimas fatais são homens. Quando restrito apenas para mortes de motoristas, a porcentagem de vítimas do sexo masculino vai para 94%.

A faixa etária que registra mais mortes é a de jovens adultos entre 18 e 34 anos, com 39% dos sinistros registrados em 2018. Adultos de 45 a 64 anos formaram 25% das indenizações de 2018, enquanto crianças de 0 a 7 anos corresponderam a menos de 1,8%.

Já o horário de maior incidência dos acidentes fatais foi das 17h às 19h59, com 22% do total.

Número de indenizações por mortes nas regiões

Quando analisamos as indenizações pagas por estado, São Paulo apresenta o maior número, com 5.462 em 2018. Na sequência aparecem Minas Gerais (4.127), Paraná (2.712), Bahia (2.710) e Rio de Janeiro (2.547).

Os estado que menos receberam indenizações por morte em 2018 foram Amapá (103), Roraima (146) e Amazonas (413).

Entretanto, de maneira proporcional, Tocantins, Piauí e Mato Grosso foram os estados que mais receberam indenizações com, respectivamente, 38, 34 e 33 sinistros de morte para cada 100 mil habitantes.

Amazonas (10 indenizações por 100 mil hab.), Distrito Federal (11 indenizações por 100 mil hab.), Acre e São Paulo (12 indenizações por 100 mil hab.), foram, proporcionalmente, as unidades federativas que menos receberam.

Em relação às regiões, o Sudeste teve o maior número de indenizações por morte pagas em 2018: 12.957. Nordeste (12.154), Sul (6.023), Centro-Oeste (3.740) e Norte (3.407) completam a lista.

No entanto, de maneira proporcional, foi o Centro-Oeste que liderou o ranking, com 23 mortes para cada 100 mil habitantes. Nordeste (21 por 100 mil), Sul (20 por 100 mil), Norte (19 por 100 mil) e sudeste (18 por 100 mil) vêm na sequência.

Como um todo, o Brasil registrou um total de 18 indenizações por morte pagas pelo DPVAT para cada 100 mil habitantes em 2018.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here