Publicado originalmente em setembro de 1998

Germano Lüders/Quatro Rodas

Você conhece o Hummer? Se a resposta foi sim, certamente sua referência a Guerra do Golfo, em 1991.

Naquela ocasião, os superjipes do Exército americano eram suspensos por helicópteros e atirados no deserto a uma distância de 5 m do chão.

Germano Lüders/Quatro Rodas

Apesar do impacto, eles partiam pra frente de batalha sem qualquer avaria. Com essas e outras proezas, essa máquina “musculosa” ganhou tanta popularidade nos EUA que passou a ser vendida no ano seguinte.

Agora, ela já está chegando ao Brasil importada pela Jaguar Cars e será exposta no Salão do Automóvel de São Paulo, em outubro. Mas, antes mesmo do Salão, o Hummer vem atraindo a curiosidade de muita gente.

Continua após a publicidade

Estacionado em frente à loja da Jaguar, em São Paulo, chama a atenção de todos que passam por ali, a pé ou de carro, por suas dimensões colossais.

Pudera: ele tem 4,68 m de comprimento e 2,60 m de largura (quase 1 m a mais que o Ka).

Concebido para fins militares, não houve obstáculo que ele não tivesse vencido numa pedreira de São Paulo. Foi capaz de “escalar” pedras de 1 m de altura a um ângulo de 70 graus, não atolou numa grande poça com água até metade da roda e subiu um morro de pedras soltas, ajudado pelo diferencial autoblocante que transfere a força para a roda que estiver mais firme no solo.

Germano Lüders/Quatro Rodas

A primeira reação é de susto. No trânsito, ao notar a aproximação do Hummer, muitos motoristas se afobavam em passar para outra faixa. Entrar repentinamente na sua frente ou obstruir a passagem, então, nem pensar.

Como não estão familiarizadas com o Hummer nas ruas, as pessoas se espantam ao vê-lo de perto. Num posto de abastecimento de São Paulo, o frentista Carlos Souza ficou na dúvida: “Ué, em qual das bocas eu coloco diesel?”, perguntou, sem saber se abastecia o tanque principal ou o reservatório auxiliar, localizados um ao lado do outro na lateral do carro.

Continua após a publicidade

Somados, comportam 159 litros e proporcionam autonomia de aproximadamente 700 km. Para verificar o óleo do motor, Souza, 1,60 m de altura, teve de se equilibrar sobre a roda dianteira do jipe para alcançar a vareta.

Vencida a apreensão inicial de estar a bordo de um carro desse porte, fica mais fácil guiar o Hummer. E preciso se acostumar com os freios, porque, pesadão e sem ABS, o jipe passa a impressão de que vai demorar a parar totalmente.

Germano Lüders/Quatro Rodas

Embora pese 3.189 kg (o equivalente a quase quatro Mille), demonstra leveza em todas as manobras graças à direção hidráulica.

No acesso à garagem em forma de caracol de um shopping center, o volante esterçou sem exigir esforço de quem dirigia. Encontrar lugar para estacioná-lo é um desafio. O jipão toma o espaço de um carro e “rouba” parte de uma segunda vaga.

Led de roda se tornou tendências para os entusiastas automotivo para terem um novo visual, utilizando o led de roda seu passeio fica mais legal e animado, as luzes coloridas atraem a atenção de muitos espectadores. Clique aqui e saiba mais

No trânsito, é impossível não invadir a faixa do lado em algumas avenidas estreitas. Conhecer o Hummer de perto suscita nas pessoas maneiras variadas de ganhar dinheiro extra, como o segurança André de Freitas Nunes: “Se tivesse um jipe assim faria escolta para figurão”, afirma.

Continua após a publicidade

Nunes não sabia, porém, que, apesar da aparência de carro blindado que transporta valores, a carroceria do Hummer é feita de aluminio e fibra, Mas é possível reforçá-la.

“A blindagem do Hummer não sai por menos de R$ 50 000”, afirma Paulo Fernando Marques, diretor-superintendente da Jaguar Cars.

Germano Lüders/Quatro Rodas

Segundo ele, existem três perfis de compradores de Hummer: o cliente que quer se sentir protegido no trânsito, o que adora trilhas off-road e o que quer se exibir.

Resta saber em qual categoria se encaixam o boxeador Mike Tyson que comprou seis para presentear alguns amigos, e o ator Arnold Schwarzenegger.

Quem andar com o jipe em estradas de terra poderá enfrentar dificuldades na hora de lavá-lo. Depois de submetélo a uma série de provas radicais, levamos o Hummer a um lava-rápido.

Continua após a publicidade

Foi uma novela. Um funcionário, munido de fita métrica, quis saber se o carro caberia na máquina que trabalha por meio de enormes escovas. Apareceram, em seguida, o representante da firma responsável pelo equipamento e o proprietário do lava-rápido. 

Germano Lüders/Quatro Rodas

Houve um impasse: “É melhor não lavar aqui”, preveniu o representante. “Por quê?”, indagou o dono. “Simplesmente porque a lavagem pode danificar o aparelho. “O que aconteceria com o carro?”, insistiu o dono do lava-rápido. “Com o carro nada”, disse o representante. “O problema é o que sobraria das escovas.” A solução foi usar uma máquina que funciona apenas com jatos d’água.

Se deixar o Hummer limpo é uma tarefa trabalhosa, trocar os pneus é desnecessário, devido ao sistema que infla ou murcha os pneus. Antes de encontrar uma borracharia, é possível rodar até 32 km, desde que não ultrapasse 50 km/h.

Esse comando e outros tantos no interior do carro surpreenderam a dona de casa Mabel Rocha Nossa, tem tanto botão aqui dentro que até parece um quarto de motel!”

Jipe de guerra, carro de escolta, quarto de motel… Como se vê, cada um encontra diferentes utilidades para o Hummer.

Continua após a publicidade

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da edição de maio da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Arte/Quatro Rodas

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here