Montana: prestes a mudar de geração ou sair de linha, Montana viu suas vendas dispararem na quarentena Divulgação/Fiat

Com a chegada da pandemia da Covid-19, o esperado era que o mercado automotivo registrasse uma queda brusca nas vendas. E isso de fato aconteceu.

O último balanço da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) mostra redução de 76% das vendas em abril, comparado ao mesmo mês do ano passado.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine com 64% de desconto.

Entretanto, para o segmento das picapes o movimento foi exatamente oposto: houve aumento durante os últimos meses e os representantes do segmento têm figurado entre os mais vendidos do país.

Continua após a publicidade
Toyota Hilux figurou entre os cinco carros mais vendidos do país em abril Christian Castanho/Quatro Rodas

Em abril, por exemplo, o boletim de emplacamentos da Fenabrave mostrou que a Toyota Hilux foi o quarto veículo leve mais vendido do Brasil com 1.713 unidades, seguido de perto pela Fiat Toro, com 1.713 emplacamentos.

Neste mês, as duas picapes se colocaram à frente de muitos carros mais baratos e que geralmente rendem bom volume de vendas, como Renault Kwid e Volkswagen Gol.

É justamente neste cenário que uma picape compacta que estava praticamente esquecida e prestes a ser descontinuada (pelo menos do jeito que está) viu suas vendas dispararem: a Chevrolet Montana.

Concorrência para a Montana será ainda maior com a chegada da nova Fiat Strada Acervo/Quatro Rodas

O modelo, que em fevereiro – antes da pandemia – registrou 255 unidades vendidas. Em março, primeiro mês da quarentena, alcançou 793 emplacamentos, um aumento de mais de três vezes.

Continua após a publicidade

O número caiu um pouco em abril, mas se manteve maior que o habitual: 522 unidades comercializadas.

Há uma explicação. A GM iniciou em março uma campanha que dava à Montana e a outros modelos como Spin, Equinox e S10, descontos de quase R$ 20.000.

Com o desconto, versão LS podia ser comprada por menos de R$ 40.000 Reprodução/Chevrolet

A ação era voltada a todos os funcionários da marca, que ainda poderiam indicar mais dois amigos para receber a oferta. Além da redução no preço final, o cliente poderia dar 40% do valor de entrada e financiar o saldo restante em até 48 vezes, com taxa de 0,89% ao mês.

Outro modelo que deu um salto nas vendas durante a quarentena foi o Citroën C4 Lounge. Em meio à forte concorrência de Toyota Corolla, Volkswagen Jetta e Honda Civic, o sedã costumava emplacar não mais de 80 unidades por mês.

Continua após a publicidade
C4 Lounge está longe de emplacar, mas viu suas vendas dispararem na quarentena Acervo/Quatro Rodas

Com o início da quarentena, parecia até que as vendas afundariam de vez – em março foram parcas 12 unidades emplacadas. Mas em abril, as vendas dispararam e a Citroën conseguiu emplacar 102 unidades do sedã.

Ao contrário da picapinha da GM, o preço do C4 Lounge se manteve estável durante os dois últimos meses, em R$ 103.990.

Entretanto, as explicações podem ser as condições especiais de financiamento oferecidas pela marca, com parcelas de R$ 99 até o final do ano, e também o fato de a marca ter passado a vender seus carros diretamente pela internet.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da edição de maio da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here