É com todo esse povo que o T-Cross 200 TSI terá de brigar

É com todo esse povo que o T-Cross 200 TSI terá de brigar (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Nos últimos tempos, não há edição de QUATRO RODAS sem pelo menos um SUV em destaque. Não é para menos. Esse é o segmento que mais cresce no Brasil.

Os lançamentos não param e cada novo modelo chega em diferentes versões de motor, acabamento e conteúdo, o que nos convida a avaliar os carros em suas diferentes configurações, comparando-os com diferentes rivais.

Em janeiro, selecionamos os competidores por faixa de preço (SUVs até R$ 85.000). Em abril, foi a vez do VW T-Cross na versão topo de linha encarar concorrentes em versões completas.

As combinações se multiplicam e cada mudança na lista de modelos produz resultados diferentes.

O Renegade costuma se dar bem entre as versões mais sofisticadas e ficar em desvantagem entre as mais simples, comportamento oposto ao do Kicks, que se destaca entre as opções mais baratas.

Agora, convocamos todos os SUVs compactos do mercado, neste que se tornou o mais numeroso comparativo já realizado pela revista. Foram 12 modelos reunidos.

O único que ficou de fora foi o Suzuki Vitara, porque a fábrica não dispunha do modelo. Nem todos SUVs mostrados nas fotos correspondem às versões consideradas no comparativo (o texto avisa quando isso ocorre). Veja a seguir.

12º. Jeep Renegade Sport – R$ 85.990

Beberrão e apático, Renegade lidera as vendas, mas fica em último no comparativo

Beberrão e apático, Renegade lidera as vendas, mas fica em último no comparativo (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Um dos SUVs mais vendidos veio parar na lanterna do comparativo. Mas é fácil explicar. A versão que briga aqui é a de entrada, Sport, e o Renegade vai melhor em níveis superiores, acima dos R$ 100.000.

Com 320 litros, o porta-malas do Renegade só é maior que o do Tracker

Com 320 litros, o porta-malas do Renegade só é maior que o do Tracker (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Em preço, conteúdo e garantia até que ele se defende bem, mas em todos os demais pontos analisados (revisões, seguro, porta-malas, 0 a 100 km/h, consumo urbano e consumo rodoviário) o Jeep ficou na segunda metade dos rankings.

Versão considerada foi a Sport, bem mais simples que a fotografada, Limited

Versão considerada foi a Sport, bem mais simples que a fotografada, Limited (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Numa comparação com o Peugeot 2008, penúltimo colocado, o Renegade fica muito para trás nas três provas dinâmicas: foi pior no 0 a 100 km/h (14,4 ante 13,5 segundos), consumo urbano (11 contra 9,6 km/l) e consumo rodoviário (14,3 ante 12 km/l).

Acabamento é um dos pontos fortes do Renegade

Acabamento é um dos pontos fortes do Renegade (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Aliás, nestas mesmas três provas o Renegade foi o lanterna – o motor 1.8 é o grande vilão. Mas, ao que tudo indica, a FCA está ciente disso e já prepara uma nova família de motores turbo de baixa cilindrada para seus produtos Fiat e Jeep.

SUV terminou comparativo com três estrelas e meia

SUV terminou comparativo com três estrelas e meia (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Fonte ligada à marca diz que o Renegade com essa nova motorização estreia no segundo semestre de 2020. Antes tarde do que nunca.

TESTE

Aceleração
0 a 100 km/h (s) – 14,4
0 a 1.000 m (s – km/h) – 35,4 / 148,4

Retomadas
De 40 a 80 km/h (s) – 6,1
De 60 a 100 km/h (s) – 8,1
De 80 a 120 km/h (s) 10,4

Frenagens
60/80/120 km/h a 0 (s) – 18,2/31,7/75

Consumo
Urbano (km/l) – 9,6
Rodoviário (km/l) – 12

Ruído interno
Neutro/RPM máx. (dBA) – 42/70,4
80/120 km/h (dBA) – 62,4/67,6

Aferição
Vel. real a 100 km/h (km/h) – 95
Rotação do motor a 100 km/h (rpm) – 2.000
Volante – 3 voltas

Seu Bolso
Preço básico (R$) – 85.990
Garantia (anos) – 3
Revisões até 60.000 km (R$) – 4.192
Seguro (R$) – 2.631
Concessionárias – 190

FICHA TÉCNICA

Motor: flex, diant., transv., 4 cilindros, 1.747 cm³, 16V, 139/135 cv a 5.750 rpm, 19,2 mkgf a 3.750 rpm
Câmbio: automático, 6 marchas, tração dianteira
Direção: elétrica
Suspensão: McPherson (diant.), McPherson (tras.)
Freios: disco ventilado (diant.), disco sólido (tras.)
Pneus: 225/55 R18
Dimensões: comprimento, 423 cm; largura, 180 cm; altura, 166 cm; entre-eixos, 257 cm; porta-malas, 320 l; tanque, 60 l; peso 1.432 kg

11º. Peugeot 2008 Griffe – R$ 89.990

Desatualizado, o Peugeot tem custos elevados e poucos equipamentos

Desatualizado, o Peugeot tem custos elevados e poucos equipamentos (Christian Castanho/Quatro Rodas)

O melhor desempenho do 2008 ocorreu em consumo rodoviário. Ele foi o quarto colocado (14,3 km/h). Nos demais itens, o Peugeot acabou em sexto lugar em preço (estimado em R$ 91.000) e consumo urbano (11 km/l).

 (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Em todos os outros quesitos, o 2008 frequentou a metade inferior dos rankings levantados. Seus custos com seguro e revisões estão entre os mais altos e ele é dono de um dos conteúdos mais básicos.

O painel elevado (i-Cockpit) proporciona postura de condução esportiva

O painel elevado (i-Cockpit) proporciona postura de condução esportiva (Christian Castanho/Quatro Rodas)

No que diz respeito à segurança, o 2008 traz seis airbags, mas não dispõe de ESP. Em relação ao conforto, o Peugeot é o único com ar-condicionado bizona.

O espaço é limitado para pessoas e bagagem. Porta-malas leva 355 litros

O espaço é limitado para pessoas e bagagem. Porta-malas leva 355 litros (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Mas fica devendo recursos como comandos de mudanças de marcha no volante, painel digital e sensor de abertura do porta-malas, presentes em alguns dos rivais.

O 2008 é um dos projetos mais antigos deste comparativo e o que menos evoluiu. Lançado em 2015, ele é contemporâneo de Renegade e HR-V.

Modelo recebeu três estrelas e meia no comparativo

Modelo recebeu três estrelas e meia no comparativo (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Mas esses dois receberam melhorias mais consistentes nos últimos tempos, enquanto o 2008 apresentou mudanças discretas, como a nova frente na linha 2020. No final da análise, o 2008 ficou em 11º lugar.

TESTE

Aceleração
0 a 100 km/h (s) – 13,5
0 a 1.000 m (s – km/h) – 34,8 – 152,2

Retomadas
De 40 a 80 km/h (s) – 6
De 60 a 100 km/h (s) – 7,5
De 80 a 120 km/h (s) – 9,6

Frenagens
60/80/120 km/h a 0 (s) – 15,6/27,3/60,2

Consumo
Urbano (km/l) – 11
Rodoviário (km/l) – 14,3

Ruído interno
Neutro/RPM máx. (dBA) – 41,6/71,4
80/120 km/h (dBA) – 62,3/68,9

Aferição
Vel. real a 100 km/h (km/h) – 99
Rotação do motor a 100 km/h (rpm) – 2.400
Volante – 3 voltas

Seu Bolso
Preço básico (R$) – R$ 89.990
Garantia (anos) – 3
Revisões até 60.000 km (R$) – 3.652
Seguro (R$) – 3.007
Concessionárias – 95

FICHA TÉCNICA

Motor: flex, diant., transv., 4 cil., 1.587 cm³, 16V, 118/115 cv a 5.750 rpm, 16,1/16,1 mkgf a 4.750/4.000 rpm
Câmbio: automático, 6 m, tração diant.
Direção: elétrica Suspensão: McPherson (diant.), eixo de torção (tras.)
Freios: disco vent. (diant.), disco sólido (tras.)
Pneus: 205/60 R16
Dimensões: compr., 415,9 cm; larg., 173,9 cm; alt., 158,3 cm; entre-eixos, 254,2 cm; porta-malas, 355 l; tanque, 55 l; peso 1.248 kg

10º. Chevrolet Tracker LT – R$ 92.590

O SUV mais rápido do grupo peca em conteúdo e espaço interno

O SUV mais rápido do grupo peca em conteúdo e espaço interno (Christian Castanho/Quatro Rodas)

O Tracker oscilou entre pontos fortes e fracos diante dos concorrentes. Na pista de testes, por exemplo, ele foi o mais rápido do comparativo nas provas de 0 a 100 km/h com o tempo de 9,4 segundos.

No porta-malas cabem 306 litros, menor volume de todo o comparativo

No porta-malas cabem 306 litros, menor volume de todo o comparativo (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Mas, na hora de medir o porta-malas, o Chevrolet apresentou a menor capacidade entre os rivais: 306 litros contra 437 litros do Captur, o primeiro nesse item.

Versão LT é mais simples que a fotografada – não tem couro

Versão LT é mais simples que a fotografada – não tem couro (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Nos demais aspectos considerados, a variação não foi tão grande, mas ele se manteve nas posições intermediárias, balançando entre prós e contras.

Pelo menos ela tem rodas de liga leve e central multimídia

Pelo menos ela tem rodas de liga leve e central multimídia (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Seu preço é um dos mais altos do comparativo, mas o seguro ficou entre os mais baixos. Em relação aos equipamentos, assim como o 2008, o Tracker traz o básico para a categoria, incluindo ESP, mas com apenas dois airbags (obrigatórios).

Tracker recebeu três estrelas e meia no resultado final

Tracker recebeu três estrelas e meia no resultado final (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Sem câmera de ré mas com sistema start-stop, a versão considerada é a LT 1.4T, que é bem mais simples que a versão especial Midnight fotografada. Mesmo sem as rodas de liga leve pretas e os bancos de couro, o Tracker é um SUV gostoso de dirigir e tem bom padrão de acabamento.

TESTE

Aceleração
0 a 100 km/h (s) – 9,4
0 a 1.000 m (s – km/h) – 30,9 – 170,9

Retomadas
De 40 a 80 km/h (s) – 4
De 60 a 100 km/h (s) – 5
De 80 a 120 km/h (s) – 6,8

Frenagens
60/80/120 km/h a 0 (s) – 16,9/29,2/67,5

Consumo
Urbano (km/l) – 10,4
Rodoviário (km/l) – 14

Ruído interno
Neutro/RPM máx. (dBA) – 39,5/70,8
80/120 km/h (dBA) – 65,1/68,5

Aferição
Vel. real a 100 km/h (km/h) – 97,8
Rotação do motor a 100 km/h (rpm) – 2.000
Volante – 3 voltas

Seu Bolso
Preço básico (R$) – 92.590
Garantia (anos) – 3
Revisões até 60.000 km (R$) – 3.612
Seguro (R$) – 2.438
Concessionárias – 600

FICHA TÉCNICA

Motor: flex, diant., transv., 4 cil., 1.399 cm³, 16V, turbo, 153/150 cv a 5.200 rpm, 24,5/24 mkgf a 2.000 rpm
Câmbio: automático, 6 m, tração diant.
Direção: elétrica
Suspensão: McPherson (diant.), eixo de torção (tras.)
Freios: disco vent. (diant.), tambor (tras.)
Pneus: 215/55 R18
Dimensões: compr., 425,8 cm; larg., 177,6 cm; alt., 167,8 cm; entre-eixos, 255,5 cm; porta-malas, 306 l; tanque, 53 l; peso 1.372 kg

9º. Honda HR-V LX – R$ 94.400

Bom de briga em níveis superiores, na versão básica, LX, o HR-V é decepcionante

Bom de briga em níveis superiores, na versão básica, LX, o HR-V é decepcionante (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Acostumado com as primeiras posições em outros comparativos, o HR-V, desta vez, veio parar na nona colocação. O que houve?

Neste comparativo, cujo teto de valor eram os R$ 94.490 do T-Cross, o HR-V briga com a versão de entrada, LX – então, não se iluda com a EXL aqui do lado, única que a Honda tinha disponível para nossa sessão de fotos.

HR-V tem cabine bastante modulável e um dos maiores porta-malas da categoria

HR-V tem cabine bastante modulável e um dos maiores porta-malas da categoria (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Faz a fama da marca a robustez e o alto valor de revenda de seus carros, mas aqui o que mais pesou foi a péssima relação custo/benefício.

Couro e multimídia também são conteúdos da versão mais cara

Couro e multimídia também são conteúdos da versão mais cara (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Por R$ 92.500, o HR-V LX é apenas R$ 1.990 mais barato que o T-Cross, mas enquanto nos rankings de conteúdo e revisões o VW é o primeiro colocado, o Honda amarga a lanterna em ambos.

HR-V LX também tem o pacote mais caro de revisões

HR-V LX também tem o pacote mais caro de revisões (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Em revisões, a discrepância é ainda maior: a cesta do T-Cross sai por R$ 1.989 e a do HR-V por R$ 5.078, ou seja, 155,3% mais cara.

Nota final: quatro estrelas

Nota final: quatro estrelas (Christian Castanho/Quatro Rodas)

O HR-V LX carrega uma peculiaridade dentro do comparativo: o fato de a Honda ser a única marca que não divulga o preço das revisões até 60.000 km, o que nos levou a fazer uma média entre os valores apurados em três concessionárias.

TESTE

Aceleração
0 a 100 km/h (s) – 11,7
0 a 1.000 m (s – km/h) – 33 – 164

Retomadas
De 40 a 80 km/h (s) – 5,4
De 60 a 100 km/h (s) – 6,3
De 80 a 120 km/h (s) – 8,2

Frenagens
60/80/120 km/h a 0 (s) – 14,7/26,2/60,3

Consumo
Urbano (km/l) – 11,7
Rodoviário (km/l) – 14,3

Ruído interno
Neutro/RPM máx. (dBA) – 39,8/72,9
80/120 km/h (dBA) – 63,7/69,5

Aferição
Vel. real a 100 km/h (km/h) – 99
Rotação do motor a 100 km/h (rpm) – 1.700
Volante – 2,7 voltas

Seu Bolso
Preço básico (R$) 94.400
Garantia (anos) – 3
Revisões até 60.000 km (R$) – 5.078
Seguro (R$) – 2.790
Concessionárias – 219

FICHA TÉCNICA

Motor: flex, diant., transv., 4 cil., 1.799 cm³, 16V, 139/140 cv a 6.300/6.500 rpm, 17,3/17,4 mkgf a 5.000/4.800 rpm
Câmbio: CVT, 7 m, tração dianteira
Direção: elétrica
Suspensão: McPherson (diant.), eixo de torção (tras.)
Freios: disco vent. (diant.), disco sólido (tras.)
Pneus: 215/55 R17
Dimensões: compr., 432,9 cm; larg., 177,2 cm; alt., 158,6 cm; entre-eixos, 252 cm; porta-malas, 431 l; tanque, 51 l; peso 1.276 kg

8º. Renault Captur Intense – R$ 90.690

Renault Captur 1.6 CVT peca por andar pouco e beber muito

Renault Captur 1.6 CVT peca por andar pouco e beber muito (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Nem sempre competidores de um mesmo segmento se enfrentam com armas parecidas. Captur e Eco, por exemplo, aplicam seus golpes e se esquivam na fraqueza e na força um do outro.

Quando o assunto é porta-malas, não tem para ninguém

Quando o assunto é porta-malas, não tem para ninguém (Christian Castanho/Quatro Rodas)

A cabine simplória, com boa parte dos comandos herdados do Duster, desaponta quem faz questão de materiais agradáveis ao toque e aos olhos – os plásticos são rígidos, brilhantes e com múltiplas texturas.

Acabamento é pobre e central MediaNav, uma das mais simples

Acabamento é pobre e central MediaNav, uma das mais simples (Christian Castanho/Quatro Rodas)

O espaço, em contrapartida, é vasto: com 437 litros, o Captur é o campeão no ranking de porta-malas.

A cesta de revisões até 60.000 km custa R$ 3.106, a mais barata dentre os franceses (R$ 3.588 o C4 Cactus e R$ 3.652 o Peugeot 2008) e terceira na geral, perdendo apenas para a do T-Cross (R$ 1.989) e do Kicks (R$ 2.710).

revestimento de couro é o único opcional do Captur e custa R$ 1.700

revestimento de couro é o único opcional do Captur e custa R$ 1.700 (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Captur e Renegade não são para quem valoriza o prazer ao dirigir. Ambos empataram na última posição na prova de aceleração de 0 a 100 km/h, com 14,4 segundos.

Nota final: quatro estrelas

Nota final: quatro estrelas (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Para piorar, o Captur é um beberrão: com médias de 10,1 e 13,2 km/l, ficou na penúltima posição nos rankings de consumo urbano e rodoviário.

TESTE

Aceleração
0 a 100 km/h (s) – 14,4
0 a 1.000 m (s – km/h) – 35,9 – 144,3

Retomadas
De 40 a 80 km/h (s) – 6
De 60 a 100 km/h (s) – 8,3
De 80 a 120 km/h (s) – 11,6

Frenagens
60/80/120 km/h a 0 (s) – 15,7/26,9/63,9

Consumo
Urbano (km/l) – 10,1
Rodoviário (km/l) – 13,2

Ruído interno
Neutro/RPM máx. (dBA) – 40,8/71,8
80/120 km/h (dBA) – 62,8/67,9

Aferição
Vel. real a 100 km/h (km/h) – 96,6
Rotação do motor a 100 km/h (rpm) – 2.250
Volante – 3,2 voltas

Seu Bolso
Preço básico (R$) – 90.690
Garantia (anos) – 3
Revisões até 60.000 km (R$) – 3.106
Seguro (R$) – 2.499
Concessionárias – 295

FICHA TÉCNICA

Motor: flex, diant., transv., 4 cil., 1.597 cm³, 16V, 120/118 cv a 5.500 rpm, 16,2/16,2 mkgf a 4.000 rpm
Câmbio: CVT, 6 m, tração diant.
Direção: eletro-hidráulica
Suspensão: McPherson (diant.), eixo de torção (tras.)
Freios: disco vent. (diant.), tambor (tras.)
Pneus: 215/60 R17
Dimensões: compr., 432,9 cm; larg., 181,3 cm; alt., 161,9 cm; entre-eixos, 267,3 cm; porta-malas, 437 l; tanque, 50 l; peso 1.286 kg

7º. Ford EcoSport Freestyle – R$ 91.890

Ele já deu as cartas no segmento, mas hoje o porte acanhado é seu maior problema

Ele já deu as cartas no segmento, mas hoje o porte acanhado é seu maior problema (Christian Castanho/Quatro Rodas)

O EcoSport já dominou a cena entre os SUVs compactos. Mas a Ford dormiu no ponto: a concorrência cresceu (em quantidade e porte), modernizou–se e hoje o EcoSport briga no pelotão intermediário.

Tampa traseira com abertura lateral exige vagas especiais quando for preciso acessar o porta-malas, de 356 litros

Tampa traseira com abertura lateral exige vagas especiais quando for preciso acessar o porta-malas, de 356 litros (Christian Castanho/Quatro Rodas)

No campo das análises objetivas, foi mal em revisões, com um gasto total projetado de R$ 4.598 até 60.000 km – só o HR-V, com R$ 5.078, é mais caro de manter.

Central Sync3 é uma das mais completas e intuitivas

Central Sync3 é uma das mais completas e intuitivas (Christian Castanho/Quatro Rodas)

No teste de consumo rodoviário, no entanto, o Eco foi o terceiro melhor do comparativo, com média de 14,6 km/l de gasolina. Na cidade, onde registrou média de 10,6 km/l, o Eco alcançou apenas a sétima posição.

Materiais e montagem de boa qualidade são o ponto forte do EcoSport

Materiais e montagem de boa qualidade são o ponto forte do EcoSport (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Apesar de uma aceleração de 0 a 100 km/h em medianos 12,6 segundos, o Eco é dono de uma boa qualidade de direção: a calibragem da suspensão garante estabilidade e conforto, e o carro responde rápido aos movimentos de volante e pedais.

Nota final: quatro estrelas

Nota final: quatro estrelas (Christian Castanho/Quatro Rodas)

O acabamento superior (materiais e montagem são de boa qualidade) agrada, mas não compensa a pior oferta de espaço do comparativo: a carroceria com apenas 4,1 metros (4,27 m com estepe) é a menor dentre os 12 competidores.

TESTE

Aceleração
0 a 100 km/h (s) – 12,6
0 a 1.000 m (s – km/h) – 34,6 – 145,6

Retomadas
De 40 a 80 km/h (s) – 5,7
De 60 a 100 km/h (s) – 7,3
De 80 a 120 km/h (s) – 10,3

Frenagens
60/80/120 km/h a 0 (s) – 17,1/28,6/66

Consumo
Urbano (km/l) – 10,6
Rodoviário (km/l) – 14,6

Ruído interno
Neutro/RPM máx. (dBA) – 41,9/64,9
80/120 km/h (dBA) – 63,2/69,2

Aferição
Vel. real a 100 km/h (km/h) – 96,9
Rotação do motor a 100 km/h (rpm) – 2.200
Volante – 2,5 voltas

Quer se tornar um mecânico de sucesso? Clique aqui !

Seu Bolso
Preço básico (R$) – 91.890
Garantia (anos) – 3
Revisões até 60.000 km (R$) – 4.598
Seguro (R$) – 2.586
Concessionárias – 365

FICHA TÉCNICA

Motor: flex, diant., transv., 3 cil., 1.497 cm³, 12V, 137/130 cv a 6.500 rpm, 16,2/15,6 mkgf a 4.500 rpm
Câmbio: automático 6 m, tração diant.
Direção: elétrica
Suspensão: McPherson (diant.), eixo de torção (tras.)
Freios: disco vent. (diant.), tambor (tras.)
Pneus: 205/60 R16
Dimensões: compr., 426,9 cm; larg., 176,5 cm; alt., 169,3 cm; entre-eixos, 251,9 cm; porta-malas, 356 l; tanque, 52 l; peso 1.272 kg

6º. Citroën C4 Cactus Feel Pack – R$ 87.490

Ele foi promovido a SUV, mas a pouca oferta de espaço entrega o DNA de hatch

Ele foi promovido a SUV, mas a pouca oferta de espaço entrega o DNA de hatch (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Outro recém-chegado, o C4 Cactus por pouco não entrou no comparativo com a versão Shine 1.6 THP (turbo), de R$ 95.990.

Mas regras são regras e aqui está o C4 Cactus Feel Pack, com motor 1.6 aspirado, a melhor versão que a marca oferece até o limite de R$ 94.490, preço do T-Cross, o balizador do comparativo.

Motor obsoleto é responsável por números medianos de desempenho e consumo

Motor obsoleto é responsável por números medianos de desempenho e consumo (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Mais para um hatch médio aventureiro que para SUV compacto, o C4 Cactus sofre com o porta-malas pequeno, de apenas 320 litros.

Quadro de instrumentos digital monocromático pouco empolga

Quadro de instrumentos digital monocromático pouco empolga (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Assim como seus companheiros do segundo pelotão do ranking de porta-malas (EcoSport, 356; 2008, 355; Tiggo 5X, 340; Renegade, 320; e Tracker, 306), ele é contraindicado para famílias que precisam de espaço para bagagem.

Bancos em tecido e porta-malas com apenas 320 litros são pontos negativos

Bancos em tecido e porta-malas com apenas 320 litros são pontos negativos (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Performance e economia também não são a praia do C4, mas ele se defende bem nos custos diretos.

Nota final: quatro estrelas

Nota final: quatro estrelas (Christian Castanho/Quatro Rodas)

É o quarto melhor no item preço (R$ 87.490), sexto em revisões (R$ 3.588) e terceiro em seguro (R$ 2.391) e terceiro em conteúdo (tem chave presencial, painel digital, airbags laterais, rodas aro 17 e sensor de chuva). A garantia está alinhada com o da maioria dos rivais, três anos.

TESTE

Aceleração
0 a 100 km/h (s) – 13
0 a 1.000 m (s – km/h) – 34,5 – 152,6

Retomadas
De 40 a 80 km/h (s) – 5,7
De 60 a 100 km/h (s) – 7,2
De 80 a 120 km/h (s) – 9,1

Frenagens
60/80/120 km/h a 0 (s) – 14,2/25,5/58,3

Consumo
Urbano (km/l) – 10,6
Rodoviário (km/l) – 13,6

Ruído interno
Neutro/RPM máx. (dBA) – 42/70,5
80/120 km/h (dBA) – 62,9/69,8

Aferição
Vel. real a 100 km/h (km/h) – 97
Rotação do motor a 100 km/h (rpm) – 2.000
Volante – 3 voltas

Seu Bolso
Preço básico (R$) – 87.490
Garantia (anos) – 5
Revisões até 60.000 km (R$) – 3.588
Seguro (R$) – 2.391
Concessionárias – 109

FICHA TÉCNICA

Motor: flex, diant., transv., 4 cil., 1.587 cm³, 16V, 118/115 cv a 5.750 rpm, 16,1/16,1 mkgf a 4.750/4.000 rpm
Câmbio: automático, 6 m, tração diant.
Direção: elétrica
Suspensão: McPherson (diant.), eixo de torção (tras.)
Freios: disco vent. (diant.), tambor (tras.)
Pneus: 205/55 R17
Dimensões: compr., 417 cm; larg., 171 cm; alt., 156 cm; entre-eixos, 260 cm; porta-malas, 320 l; tanque, 55 l; peso 1.225kg

5º. JAC T50 Pack 3 – R$ 89.990

JAC se sai bem em espaço interno, consumo urbano e conteúdo de série

JAC se sai bem em espaço interno, consumo urbano e conteúdo de série (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Um ditado na indústria fala que, para conquistar os mercados do Ocidente, os japoneses precisaram de 20 anos, os coreanos levaram dez anos e os chineses vão fazer isso em cinco anos.

Visual não é tão original quanto o do Tiggo 5X

Visual não é tão original quanto o do Tiggo 5X (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Ninguém falou quando a contagem do prazo começou, mas pelo que vimos no comparativo, o tempo de espera dos chineses deve estar acabando.

No quinto lugar deste comparativo de 12 SUVs, o T50 ainda se apoia muito na relação custo/benefício para atrair compradores, como os chineses sempre fizeram.

T50 é um SUV bem equipado

T50 é um SUV bem equipado (Christian Castanho/Quatro Rodas)

O JAC é um dos SUVs mais baratos ao mesmo tempo que conta com a maior garantia de fábrica (seis anos) e um dos pacotes de equipamentos mais completos. Mas seu sucesso não se resume somente a esse tipo de atrativo.

Modelo tem maior espaço interno que a maioria dos rivais

Modelo tem maior espaço interno que a maioria dos rivais (Christian Castanho/Quatro Rodas)

O T50 se destacou no espaço interno, particularmente no porta-malas de 400 litros, e nas medições de consumo urbano, com a média de 15,1 km/l.

Nota final: quatro estrelas

Nota final: quatro estrelas (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Ele ainda exibe deficiências no acabamento, não é flex e pesa no orçamento do proprietário no que diz respeito aos custos de seguro e revisões. Mas sem dúvida ele representa uma conquista para a JAC.

TESTE

Aceleração
0 a 100 km/h (s) – 13,5
0 a 1.000 m (s – km/h) – 35,1 – 150

Retomadas
De 40 a 80 km/h (s) – 5,8
De 60 a 100 km/h (s) – 7,3
De 80 a 120 km/h (s) – 8,7

Frenagens
60/80/120 km/h a 0 (s) – 14,9/27,3/62,8

Consumo
Urbano (km/l) – 15,1
Rodoviário (km/l) – 13,9

Ruído interno
Neutro/RPM máx. (dBA) – 49,7/70,1
80/120 km/h (dBA) – 63,8/69,3

Aferição
Vel. real a 100 km/h (km/h) – 98
Rotação do motor a 100 km/h (rpm) – 2.600
Volante – 2,9 voltas

Seu Bolso
Preço básico (R$) – 89.990
Garantia (anos) – 6
Revisões até 60.000 km (R$) – 3.944
Seguro (R$) – 2.727
Concessionárias – 41

FICHA TÉCNICA

Motor: gasolina, diant., transv., 4 cil., 1.590 cm³, 16V, 138 cv a 6.000 rpm, 17,1 mkgf a 4.000 rpm
Câmbio: CVT, 6 m, tração diant.
Direção: elétrica
Suspensão: McPherson (diant.), eixo de torção (tras.)
Freios: disco vent. (diant.), disco sólido (tras.)
Pneus: 205/55 R16
Dimensões: compr., 434,5 cm; larg., 176,5 cm; alt., 164 cm; entre-eixos, 256 cm; porta-malas, 400 l (estimado); tanque, 45 l; peso 1.320 kg

4º. Hyundai Creta Pulse Plus – R$ 92.990

Hyundai traz boa qualidade, conteúdo intermediário e cinco anos de garantia

Hyundai traz boa qualidade, conteúdo intermediário e cinco anos de garantia (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Ao contrário de SUVs como Renegade e Kicks, que apresentam resultados diferentes dependendo da versão e dos rivais confrontados, o Creta tem apresentado regularidade nos comparativos independentemente da configuração.

Foi assim na edição de janeiro (quando ficou em primeiro com a versão Smart), de abril (segundo, Prestige) e agora (com a Pulse) ele conquista o quarto lugar.

Porta-malas de 431 litros é um dos maiores do segmento

Porta-malas de 431 litros é um dos maiores do segmento (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Entre seus atributos estão o espaço interno, com destaque para o tamanho do porta-malas (431 litros), o tempo de garantia (cinco anos) e o custo das revisões (R$ 3.217, o quarto mais em conta).

Creta tem central multimídia com TV digital

Creta tem central multimídia com TV digital (Christian Castanho/)

O Creta tem qualidade construtiva superior e acabamento interno que emprega materiais simples mas bem confeccionados e um projeto bem executado.

Descansa-braço entre os bancos é item de série

Descansa-braço entre os bancos é item de série (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Seu pacote de equipamentos fica em um patamar intermediário na comparação com os concorrentes. Ele não é tão completo quanto o T-Cross. Tem só dois airbags.

Nota final: quatro estrelas

Nota final: quatro estrelas (Fernando Pires/Quatro Rodas)

Mas supera HR-V, 2008 e Tracker, com itens como sistema start-stop, sensores de luz, estacionamento e pressão dos pneus e câmera de ré entre outros.

TESTE

Aceleração
0 a 100 km/h (s) – 12,6
0 a 1.000 m (s – km/h) – 34,2 – 148,9

Retomadas
De 40 a 80 km/h (s) – 5,5
De 60 a 100 km/h (s) – 6,9
De 80 a 120 km/h (s) – 9,5

Frenagens
60/80/120 km/h a 0 (s) – 16,4/28,2/64,6

Consumo
Urbano (km/l) – 10,3
Rodoviário (km/l) – 13,7

Ruído interno
Neutro/RPM máx. (dBA) – 38,2/64,4
80/120 km/h (dBA) – 65,2/70

Aferição
Vel. real a 100 km/h (km/h) – 98,7
Rotação do motor a 100 km/h (rpm) – 2.100
Volante – 2,7 voltas

Seu Bolso
Preço básico (R$) – 92.990
Garantia (anos) – 5
Revisões até 60.000 km (R$) – 3.217
Seguro (R$) – 3.018
Concessionárias – 211

FICHA TÉCNICA

Motor: flex, diant., transv., 4 cil., 1.591 cm³, 16V, 130/123 cv a 6.000 rpm, 16,5/16 mkgf a 4.500 rpm
Câmbio: automático, 6 m, tração diant.
Direção: elétrica
Suspensão: McPherson (diant.), eixo de torção (tras.)
Freios: disco vent. (diant.), tambor (tras.)
Pneus: 215/60 R17
Dimensões: compr., 427 cm; larg., 178 cm; alt., 163,5 cm; entre-eixos, 259 cm; porta-malas, 431 l; tanque, 55 l; peso 1.359 kg

3º. Caoa Chery Tiggo 5X T – R$ 86.990

Com estilo, desempenho e qualidade, ele melhora o padrão dos carros chineses

Com estilo, desempenho e qualidade, ele melhora o padrão dos carros chineses (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Junto com o T50, o Tiggo 5X é um bom exemplo de que alguns chineses evoluíram. À primeira vista, o Tiggo 5X impressiona pelo design, que revela caráter próprio, coisa de marca que já desenvolveu sua identidade visual.

Seu porta-malas, de 340 litros, é pequeno

Seu porta-malas, de 340 litros, é pequeno (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Você pode até não gostar do estilo, mas não consegue dizer que o visual do Tiggo 5X foi copiado de outra marca.

É verdade que há um certo exagero de cromados e brilhos, por fora e por dentro. Mas há um sinal de que a sofisticação não fica somente no visual.

Fotos mostram a versão completa, TXS (com bancos de couro)

Fotos mostram a versão completa, TXS (com bancos de couro) (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Ao entrar no Tiggo, não se sente aquele cheiro característico de plástico (compostos fenólicos) comum nos chineses e que ainda se percebe no T50. Isso demonstra que os materiais de acabamento têm qualidade superior.

Mesmo na básica T, o Tiggo é bem equipado

Mesmo na básica T, o Tiggo é bem equipado (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Neste comparativo, o Chery surpreendeu quem o dirigiu e mostrou sua superioridade em vários rankings.

Nota final: quatro estrelas e meia

Nota final: quatro estrelas e meia (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Em custos (foi primeiro no valor do seguro, o terceiro em preço e o quinto nos gastos com revisões), na aceleração de 0 a 100 km/h (o segundo mais rápido com 10,6 segundos), no consumo urbano (o quinto com 11,2 km/l) e no pacote de equipamentos (em quarto lugar).

TESTE

Aceleração
0 a 100 km/h (s) – 10,6
0 a 1.000 m (s – km/h) – 31,8 – 165,9

Retomadas
De 40 a 80 km/h (s) – 4,5
De 60 a 100 km/h (s) – 5,7
De 80 a 120 km/h (s) – 7,5

Frenagens
60/80/120 km/h a 0 (s) – 13,4/24,7/54,6

Consumo
Urbano (km/l) – 11,2
Rodoviário (km/l) – 13,5

Ruído interno
Neutro/RPM máx. (dBA) – 42/70,5
80/120 km/h (dBA) – 61/68,1

Aferição
Vel. real a 100 km/h (km/h) – 100
Rotação do motor a 100 km/h (rpm) – 2.250
Volante – 2,7 voltas

Seu Bolso
Preço básico (R$) – 86.990
Garantia (anos) – 3 (5 para motor e câmbio)
Revisões até 60.000 km (R$) – 3.391
Seguro (R$) – 2.246
Concessionárias – 80

FICHA TÉCNICA

Motor: flex, diant., transv., 4 cil., 1.496 cm³, 16V, turbo, 150/147 cv a 5.500 rpm, 21,4/21,4 mkgf a 1.750 rpm
Câmbio: automatizado de dupla embr., 6 m, tração diant.
Direção: elétrica
Suspensão: McPherson (diant.), multilink (tras.)
Freios: disco vent. (diant.), disco sólido (tras.)
Pneus: 225/55 R18
Dimensões: compr., 433,8 cm; larg., 183 cm; alt., 164,5 cm; entre-eixos, 263 cm; porta-malas, 340 l; tanque, 57 l; peso 1.424 kg

2º. Nissan Kicks SV Pack Plus – R$ 94.390

Com boa pontuação em todos os aspectos, Nissan se destacou no grupo

Com boa pontuação em todos os aspectos, Nissan se destacou no grupo (Christian Castanho/Quatro Rodas)

O Kicks foi terceiro colocado no compara de janeiro, na versão S, quinto em abril na versão SL Pack Tech, e agora faturou o segundo lugar na versão SV Pack.

Modelo se notabiliza por trazer seis airbags

Modelo se notabiliza por trazer seis airbags (Christian Castanho/Quatro Rodas)

A explicação para esse desempenho irregular está no fato de que, apesar de ser o mesmo modelo alinhado em todos os confrontos, cada uma dessas versões tem preço, acabamento e conteúdo diferentes.

Kicks é dono de um dos menores espaços internos

Kicks é dono de um dos menores espaços internos (Christian Castanho/Quatro Rodas)

E, além disso, em cada ocasião, o Nissan enfrentou concorrentes igualmente mutantes. Neste comparativo, o Kicks somou pontos pela regularidade de seu desempenho nos diferentes quesitos analisados.

Por outro lado, seu porta-malas (432 litros) é um dos maiores

Por outro lado, seu porta-malas (432 litros) é um dos maiores (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Ele foi o segundo melhor em porta-malas (432 litros) e gasto com revisões (R$ 2.710) e o quarto melhor em aceleração de 0 a 100 km/h (11,4 segundos) e consumo urbano (11,4 km/l).

Nota final: quatro estrelas e meia

Nota final: quatro estrelas e meia (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Seu maior rendimento foi em consumo rodoviário (15,3 km/l), ao se revelar o mais econômico do confronto. E o pior resultado aconteceu na apuração do custo de aquisição.

Ao preço sugerido de R$ 94.390, ele ficou tecnicamente empatado com o T-Cross (R$ 94.490), como o mais caro da turma.

TESTE

Aceleração
0 a 100 km/h (s) – 11,4
0 a 1.000 m (s – km/h) – 33,6 – 153,1

Retomadas
De 40 a 80 km/h (s) – 5
De 60 a 100 km/h (s) – 6,6
De 80 a 120 km/h (s) – 9,2

Frenagens
60/80/120 km/h a 0 (s) – 17,8/31/71

Consumo
Urbano (km/l) – 11,4
Rodoviário (km/l) – 15,3

Ruído interno
Neutro/RPM máx. (dBA) – 47,7/74,2
80/120 km/h (dBA) – 65,1/70,2

Aferição
Vel. real a 100 km/h (km/h) – 94,8
Rotação do motor a 100 km/h (rpm) – 1.750
Volante – 3,2 voltas

Seu Bolso
Preço básico (R$) – 94.390
Garantia (anos) – 3
Revisões até 60.000 km (R$) – 2.710
Seguro (R$) – 2.444
Concessionárias – 160

FICHA TÉCNICA

Motor: flex, diant., transv., 4 cil., 1.587 cm³, 16V, 114/114 cv a 5.600 rpm, 15,5/15,5 mkgf a 4.000 rpm
Câmbio: CVT, 6 m, tração diant.
Direção: elétrica
Suspensão: McPherson (diant.), eixo de torção (tras.)
Freios: disco vent. (diant.), tambor (tras.)
Pneus: 205/50 R16
Dimensões: compr., 429 cm; larg., 176 cm; alt., 159 cm; entre-eixos, 261 cm; porta-malas, 432 l; tanque, 41 l; peso 1.129 kg

1º. Volkwagen T-Cross 200 TSI – R$ 94.490

O T-Cross é o mais caro do comparativo, mas compensa cada centavo extra investido

O T-Cross é o mais caro do comparativo, mas compensa cada centavo extra investido (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Por absorverem o que há de bom e expurgar o que há de ruim na concorrência, modelos estreantes largam em comparativos com a obrigação moral de vencer.

VW mandou um T-Cross Comfortline para as fotos…

VW mandou um T-Cross Comfortline para as fotos… (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Foi assim com o T-Cross, que ganhou este com certa facilidade. Por R$ 94.490 ele é o mais caro, mas é bom lembrar que oito dos 12 SUVs aqui reunidos custam acima dos R$ 90.000.

…Então, desconsidere o banco de couro, o painel e o ar digitais e a central multimídia top de linha

…Então, desconsidere o banco de couro, o painel e o ar digitais e a central multimídia top de linha (Christian Castanho/Quatro Rodas)

E mais: o T-Cross esteve entre as três primeiras posições em seis dos nove itens objetivos analisados – foi mal apenas em preço (12o) e mediano em porta-malas (6o) e garantia (3o, empatado com outros oito rivais).

Entre-eixos do T-Cross só perde para o do Captur

Entre-eixos do T-Cross só perde para o do Captur (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Não se iluda com o visual do T-Cross Comfortline das fotos, pois a versão considerada foi a 200 TSI, de entrada.

O pacote de itens de série é bom, com airbags laterais e de cortina, ESP, volante multifuncional e multimídia. O T-Cross tem as três primeiras revisões gratuitas – não à toa, saiu-se vencedor nesse item, com um pacote 26,6% mais barato que o do Kicks, o segundo colocado.

Acabamento simples fala contra o SUV recém-lançado

Acabamento simples fala contra o SUV recém-lançado (Christian Castanho/)

Para finalizar, o T-Cross ganhou nota máxima (para adultos e crianças) nos testes de colisão do Latin NCAP.

TESTE

Aceleração
0 a 100 km/h (s) – 11,3
0 a 1.000 m (s – km/h) – 32,7 – 160,2

Retomadas
De 40 a 80 km/h (s) – 5
De 60 a 100 km/h (s) – 6,3
De 80 a 120 km/h (s) – 7,6

Frenagens
60/80/120 km/h a 0 (s) – 14,3/24,9/56,4

Consumo
Urbano (km/l) – 11,8
Rodoviário (km/l) – 14,7

Ruído interno
Neutro/RPM máx. (dBA) – 37,5/68,3
80/120 km/h (dBA) – 60,5/66,4

Aferição
Vel. real a 100 km/h (km/h) – 98
Rotação do motor a 100 km/h (rpm) – 2.000
Volante – 3 voltas

Seu Bolso
Preço básico (R$) – 94.490
Garantia (anos) – 3
Revisões até 60.000 km (R$) – 1.989
Seguro (R$) – 2.318
Concessionárias – 540

FICHA TÉCNICA

Motor: flex, diant., transv., 3 cil., 999 cm³, 12V, turbo, 128/116 cv a 5.500 rpm, 20,4/20,4 mkgf a 2.000 rpm
Câmbio: automático, 6 m, tração diant.
Direção: elétrica
Suspensão: McPherson (diant.), eixo de torção (tras.)
Freios: disco vent. (diant.), disco sólido (tras.)
Pneus: 205/60 R16
Dimensões: compr., 419,9 cm; larg., 175,1 cm; alt., 156,8 cm; entre-eixos, 265,1 cm; porta-malas, 373 l; tanque, 52 l; peso, 1.190 kg

 

 

Veredicto QUATRO RODAS

Na amostra considerada, encontramos opções com pontos fortes e fracos em diferentes aspectos. Mas, analisando esses 12 SUVs, fizemos uma radiografia que mostra quais deles têm maiores possibilidades de atender às expectativas dos consumidores.

Do primeiro ao último colocado, a classificação foi a seguinte: T-Cross, Kicks, Tiggo 5X, Creta, T50, C4 Cactus, EcoSport, Captur, HR-V, Tracker, 2008 e Renegade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here