Enfim, o Peugeot 2008 pode ter câmbio automático e motor turbo ao mesmo tempo

Por fora, o Griffe THP é idêntico ao aspirado

Por fora, o Griffe THP é idêntico ao aspirado (Fernando Pires/Quatro Rodas)

Este é, provavelmente, o melhor momento do Peugeot 2008 no Brasil. Se o leve facelift estreado em maio aproximou seu design do do 3008 e do 5008, agora ele também passa a ter a mesma mecânica dos irmãos maiores. Ou quase isso.

A transmissão automática de seis marchas da japonesa Aisin resolveu dois problemas. Em 2017, substituiu o câmbio de quatro marchas nas versões com motor 1.6 de 118 cv e agora chega à versão topo de linha com o motor 1.6 turbo flex de 173 cv.

O 2008 Griffe THP tem preço e pacote dos rivais intermediários, e mecânica de topo de linha

O 2008 Griffe THP tem preço e pacote dos rivais intermediários, e mecânica de topo de linha (Fernando Pires/Quatro Rodas)

Até então, só houve 2008 THP com câmbio manual de seis marchas no Brasil. Era divertido, mas não fazia sentido: o consumidor de SUVs compactos já exigia câmbio automático nas versões topo de linha quando o 2008 estreou, em 2015.

Na época, o câmbio de seis marchas disponível, usado nos 308 e 408, era muito grande para caber nos compactos da marca, baseados na plataforma PF1.

O surgimento de uma versão menor foi o que viabilizou este novo 2008 Griffe THP, que chega agora às lojas por R$ 99.990.

THP automático perde as pedaleiras de alumínio. Bancos são revestidos parcialmente de couro

THP automático perde as pedaleiras de alumínio. Bancos são revestidos parcialmente de couro (Fernando Pires/Quatro Rodas)

Apareceu um pouco tarde – o Citroën C4 Cactus tem a mesma mecânica faz um ano –, mas a Peugeot quis adaptar as relações da transmissão ao perfil do 2008. Fomos checar isso em nossa pista de testes.

Gasolina no tanque, pé embaixo. O 2008 precisou de 8,8 s para chegar aos 100 km/h e fez 11 km/l no ciclo urbano e 14,7 km/l no rodoviário.

Ele é 0,3 s mais rápido e ainda gastou menos que a antiga versão manual (10,6 km/l e 14,3 km/l). Mas o C4 Cactus equivalente fez 8,3 s, 11,4 km/l e 14,4 km/l, respectivamente.

O SUV tem motor quatro-cilindros 1.6L e 16 V

O SUV tem motor quatro-cilindros 1.6L e 16 V (Fernando Pires/Quatro Rodas)

Teste (*teste de fábrica)
Aceleração
0 a 100 km/h: 8,8 segundos
0 a 1.000 m: 29,86 segundos – 175,31 km/h
Velocidade máxima 209 km/h*
Retomada
D 40 a 80 km/h: 3,6 segundos
D 60 a 100 km/h: 4,6 segundos
D 80 a 120 km/h: 5,3 segundos
Frenagens
60/80/120 km/h – 0 15,3/27,5/62,6 m
Consumo
Urbano: 11 km/l
Rodoviário: 14,7 km/l

O Peugeot 2008 tem o temperamento diferente do do primo. A suspensão é mais firme e controla melhor a carroceria em curvas (embora ainda permita que a frente empine bastante nas acelerações).

A posição de dirigir mais baixa, o volante de raio pequeno e o quadro de instrumentos destacado do painel fazem o modelo ser promovido de SUV a uma alternativa ao esportivo que você não pode comprar por causa da família – que ainda vai reclamar (com razão) do espaço traseiro.

Teto panorâmico é de série

Teto panorâmico é de série (Fernando Pires/Quatro Rodas)

A direção poderia ser um pouquinho mais pesada e a opção de troca sequencial no volante seria bem-vinda, mas dá para viver sem.

O câmbio é rápido, embora se esforce para manter a rotação do motor sempre próxima das 1.500 rpm na maior parte das vezes. Mas em modo Sport é possível aproveitar melhor toda a força que parece sobrar no motor.

Informações do modo do Grip Control não aparecem na central nem nos instrumentos

Informações do modo do Grip Control não aparecem na central nem nos instrumentos (Fernando Pires/Quatro Rodas)

Da versão manual ficou o sistema Grip Control, que permite selecionar o modo de atuação dos controles de estabilidade e tração de acordo com o piso. É o único equipamento que tem a mais que a versão Griffe com 118 cv, que custa R$ 10.000 a menos.

Quer dizer que mantém o teto panorâmico, o ar-condicionado automático bizona, os seis airbags, a central multimídia que ainda exibe o antigo visual do 2008 e as rodas aro 16.

E que segue sem partida sem chave e bancos totalmente revestidos de couro. Dá para ter isso nos rivais, mas eles são mais fracos.

Espaço traseiro é limitado e porta-malas tem 355 litros

Espaço traseiro é limitado e porta-malas tem 355 litros (Fernando Pires/Quatro Rodas)

Ficha Técnica
Preço: R$ 99.990
Motor: Flex, dianteiro, transversal, 4 cil., 16V, 1.598 cm3; 173/165 cv a 6.000 rpm, 24,5 mkgf a 1.400 rpm
Câmbio: Automático, 6 marchas, tração dianteira
Suspensão: McPherson (diant.) / eixo de torção (tras.)
Freios: Disco ventilado (diant.) / sólido (tras.)
Direção: Elétrica, diâm. de giro: 10,4 m
Rodas e pneus: Aço, 205/60 R16
Dimensões: Comp., 415,9 cm; larg., 173,9 cm; alt., 158,3 cm; entre-eixos, 254,2 cm; peso, 1.246 kg; tanque, 55 l; altura livre do solo, 20 cm; porta-malas, 355 l

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here