Controladora da Volvo desde 2010, quando fechou negócio com a Ford, a chinesa Geely planeja dar um passo adiante na relação que mantém com a marca sueca. Conforme relata a agência de notícias Automotive News, estão sendo discutidos internamente um programa de fusão e de abertura de capital em Hong Kong e, possivelmente, também em Estocolmo. O objetivo seria buscar sinergias no desenvolvimento de carros elétricos e autônomos, especialmente em um momento de forte concorrência global. “Uma combinação das duas empresas resultaria em um forte grupo global”, disse Li Shufu, presidente do grupo Geely.

O acordo unificaria a maior parte do crescente conglomerado automotivo de Li e criaria uma empresa no valor de US$ 30 bilhões – mesmo patamar da Ford, por exemplo. As vendas anuais combinadas ultrapassariam 2 milhões de unidades (números próximos ao de montadoras como a BMW) e resultariam da soma das marcas Volvo, Geely, Lynk & CO e Polestar. Sozinha, a Geely entregou em 2019 cerca de 1,36 milhão de carros e pretende vender 1,4 milhão neste ano. A Volvo, por sua vez, emplacou pouco mais de 700.000 carros.

Em comunicado, as marcas confirmaram a criação de um grupo de trabalho conjunto para preparar uma proposta para seus respectivos conselhos de administração. Mais informações serão divulgadas em breve.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here